segunda-feira

Segunda noite de festa e muito forró no centro de Conde foi um sucesso.

Na segunda noite de festa no centro de Conde foi um sucesso. 

O show começou com o Forró do Grupo Jacoca, que já chegou mostrando que a noite ia ser animada. Em seguida a banda Forró Caçuá contagiou o público com muita alegria. 







E quem fechou a noite, deixando aquele gostinho de quero mais foi o pessoal do Forró Ripa na Chulipa, que com seu repertório diversificado, encerrou o São João Cultural no centro de Conde. Mais ainda terá mais nos Dias 28 e 29 tem o São Pedro em Jacumã. 

O São João de 2017 no Conde foi lindo e considerado o melhor dos ultimos tempos!


Palavras da Prefeita Marcia  Lucena em agradecimento..


O São João de 2017 no Conde foi lindo!

Mas, mais que lindo foi justo!

Investimos recursos públicos em artistas e grupos locais com poucos convidados - só isso já traz um monte de coisas legais: os artistas locais varolizados, a autoestima elevada, o dinheiro circulando no município ( usamos uma estratégia importante para isso, pagar um terço do décimo terceiro e colocar dinheiro na mão do servidores), a valorização da participação da família - idosos, jovens, crianças, todos juntos!


Não gastamos com cachês poderosos, mas trouxemos bandas de altíssima qualidade! Música de qualidade foi o que ouvimos!

Marcamos uma posição onde todos diziam que " o povo não gosta desse tipo de música", pois sabemos que o povo na verdade, não ESCUTA esse tipo de música, mas ao escutar gosta, se diverte, se sente feliz!

Agradeço a população do Conde a participação, a alegria, a força que recebemos...
Quero dizer que nosso São João " pegou!" Ano que vem teremos clientela! Isso intensificará o comércio local, o turismo e consequentemente, a vida começará a se organizar de outra forma para todos!

Vamos em frente!
Obrigada à todos!!!


O Forró Caçuá deu um show na praça de Conde!


O Conde ontem brilhou! A alegria, a participação da população nem a chuva atrapalhou...
Música de raiz! Muita cultura popular! Forró pé de serra! Quem disse que o povo não gosta???













quarta-feira

Pai da pequena Naielly Gisélia Gonçalves Nunes, DESABAFA a respeito de morte de sua filha no hospital da HAPVIDA.


Meu nome é Jefferson Fonseca Nunes, durante 2 anos e 3 meses fui Pai da pequena Naielly Gisélia Gonçalves Nunes, um bebê saudável, que nunca havia sido internada em um hospital.
Hoje dia 08/05 faz 28 dias que minha filha veio a óbito por negligência médica.


Desde o dia 02/03 eu e a minha esposa Stephany Gonçalves ia com frequência a urgência do hospital da Hapvida de João Pessoa com a minha filha tossindo muito e os médicos sempre diagnosticaram como alergia, a minha filha parou de comer, vomitava e chorava muito e eles continuavam dizendo que era alergia, nós pedimos para que eles fizessem exames e eles diziam que não havia necessidade e não iria expor a nossa filha a radiação por fazer mal, que era apenas alergia, ela começou a apresentar febre muito alta e eles disseram que era virose, passaram remédio e mais uma vez nos mandaram para casa, 4 dias depois dei entrada no hospital novamente e minha filha estava desmaiando nos meus braços, não conseguia respirar e eles colocaram a minha filha na observação, ela fez exames e diagnosticaram que ela estava com um grau muito avançado de pneumonia o pulmão esquerdo dela já estava todo comprometido e havia gerado uma infecção no sangue a SEPSE, o hospital não podia passar antibióticos por demorar muito tempo e o nome da minha filha já não estava mais no sistema do hospital, tivemos que passar na recepção para dar entrada novamente como se a minha filha tivesse entrado naquele momento no Hospital eles ainda manterão minha filha mais de 24 horas na observação.

Quando finalmente foi internada não aparecia nenhum médico no quarto, a minha filha estava desmaiando o tempo todo, eu dizia a enfermeira e ela dizia que eu estava enganado que minha filha só estava cansada.

Depois de mais de 24 horas de internação ela foi para a UTI, teve várias paradas cardio respiratória, os rins pararam, ela fez 5 sessões de hemodiálise, fez cirurgias, e no dia 11/04 ela veio a óbito.
Por uma Pneumonia não diagnosticada por preguiça, incompetência médica de não passarem exames, por acharem que sabiam de tudo.

Agora eu estou sem a razão da minha vida.

Nós começamos a solicitar do hospital o histórico das vezes que a minha filha foi no hospital e eles não nos entregam, procuramos o ministério público para pedir que eles tomassem providência e o hospital só entregou metade da documentação, vai fazer um mês que estou sem minha filha e tudo que eu quero é justiça, mais tenho que esperar o histórico que comprova as entradas dela no hospital e o hospital Hapvida se nega a entregar.

Por favor, nos ajudem a fazer justiça pela minha filha, Compartilhe! HAPVIDA PLANO DE SAÚDE OU HAPMORTE?

EX-FUNCIONARIO MOSTRA INDIGNAÇÃO CONTRA HOSPITAL DA HAPVIDA EM JOÃO PESSOA-PB

EX - FUNCIONÁRIO MOSTRA INDIGNAÇÃO CONTRA HOSPITAL DA HAPVIDA EM JOÃO PESSOA - PB.

                            
             O Sr. Washington Alencar Gomes, brasileiro, casado, condutor, pai de família, mostra sua indignação contra direção do Hospital Geral da Hapvida, diz que; aguarda receber suas conta (DINHEIRO) de sua rescisão contratual desde do ultimo dia 01/06/2017 que estava marcado pra receber seus vencimentos o mesmo tem o papel em mãos que comprova que estava marcado para tal dia, onde a DIREÇÃO e a COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS, se esquiva não lhe da a mínima informação sobre o restante de seu pagamento, nem tão pouco presta esclarecimento de quando será feito seu pagamento, ou lhe dá detalhes do que foi recebido em sua conta, o mesmo agora espera que a direção venha esclarecer tão somente os seus vencimentos recebido e que ainda tem pra receber, tais como duas ferias que tirou como salário extra em março e a outra em abril, que não recebeu, dia do trabalhador que tem por direito de receber como dia de trabalhado extra, e não recebeu,, folga corem que não vinha recebendo e tem direito, e a documentação para poder receber seu FGTS que é de direito, ou que a justiça seja feita.


                Indignado vem a publico mostra sua indignação contra responsáveis pela coordenação que não presta nenhuma informação a sua pessoa, o mesmo já tentou de todas as formas, ligando, deixando mensagens através aplicativo do WhatsApp porem foi bloqueado, isso é uma falta de respeito para o trabalhador, ao pai de família que tem suas despesas para arca como todo pai de família,  que espera receber seus vencimentos para honra seus compromissos, agora só resta a justiça do trabalho, chamar a ordem, e pleitear que o hospital venha arcar com suas obrigações trabalhista e pagar seus vencimentos.