quinta-feira

Ida de Cartaxo para o PSD sinaliza que Cássio será candidato a senador

Confirmando-se a saída do prefeito Luciano Cartaxo do PT, o que estaria para ser anunciado ainda hoje, fica claro que ele vai ter um vice do PSDB e que Cássio não será candidato a governador em 2018, pois apoiará Cartaxo, caso ele se reeleja.

Ida de Cartaxo para o PSD sinaliza que Cássio será candidato a senador

Essa movimentação de forças é bastante natural e não me surpreendo com a concretização, pois, diante do fato de que o governador Ricardo Coutinho decidiu que o PSB lançará candidato próprio na Capital, só restou ao prefeito Cartaxo movimentar as pedras e oficializar o que já era uma aliança branca.

Quem será indicado ao cargo de vice ainda se especula muito nomes e mais forte vem da família Lucena, podendo ser Lauremília ou até mesmo Ruy Carneiro, o nome mais provável, pois conversei com Cícero ontem e ele disse que não se envolve mais em política.

Outra leitura dessa decisão de Cartaxo é que a candidatura de Manoel Júnior está definitivamente rifada, pois diante da polarização e impossibilidade de o PMDB se aliar a Cássio e Cartaxo, pois tem cargos no governo RC, a candidatura dele se inviabilizou.

Minha leitura é que essa guinada de Cartaxo também provocou, praticamente, a definição do nome que disputará o governo com o apoio do governador.

Mas, isso é conversa para outro momento. Aguardemos agora a confirmação dos fatos especulados.

Com armas privativas das Forças Armadas e cercado de pistoleiros, Aluísio Régis toca o terror no Conde


Que costas quentes tem Aluísio Régis para matar, ameaçar, surrar até menores, andar armado e com milicia pessoal para todo canto sem que nenhuma autoridade judiciária ou policial tome as providências cabíveis?


Com armas privativas das Forças Armadas e cercado de pistoleiros, Aluísio Régis toca o terror no Conde

O que torna esse homem imune as leis do país e que porte de arma ele tem para levar na cintura e sacar sempre que lhe convier a pistola automática?

Os capangas com ele exibindo armas de grosso calibre são detentores de porte de armas? Podem portar pistolas, escopetas e até metralhadoras de uso exclusivo das Forças Armadas?

Domingo passado o ex-prefeito do Conde, que carrega no currículo duas mortes, fora as que não sabemos, tentou invadir a casa e surrou o radialista Caco Pereira.

 


Aluísio argumenta que a casa tem dono e Caco prova que é o dono da casa. Aluísio diz que alugou uma casa do Minha Casa Minha Vida para o radialista e confessa um crime antes de praticar outro. As casas desse sistema não podem ser alugadas.

Hoje Aluísio e o filho Hermam estiveram novamente na casa do radialista e, diante do silêncio das autoridades, invadiu, jogou os móveis no meio da rua e surrou o filho menor de Caco Pereira.


Um crime atrás do outro, mas para Aluísio que fez fama de valentão açoitando, matando e mandando matar gente, invadir uma residência, agredir o dono da casa e surrar o filho de quinze anos é fichinha.
Alguém deve tá perguntando se o Conde não tem delegacia e digo que tem. Tem uma delegada que se nega até a registrar Bos contra o cidadão violento e incapaz de viver em sociedade.

Sabendo disso, o radialista e as outras vítimas do desafiante da Lei se deslocam até Alhandra para registrar uma queixa.

A HILUX PLACA MOK 2121
Hoje a trade Aluísio Régis achou pouco a arruaça e, sem medo da Polícia de Conde, foi com os capangas para gente das secretariais de Saúde e Comunicação amedrontar os auxiliares da prefeita Tatiana.

Como já disse, portavam armas de grosso calibre, algumas privativas das Forças Armadas e estavam dentro de uma caminhoneta Hylux Verde e com placa MOK 2021.

Do jeito que a coisa tá correndo frouxa, sem policiamento para coibir sem ninguém no Judiciário para tirar esse homem violento de circulação, é possível que nos próximos dias seja noticiado mais uma vítima desse homem que se julga acima da Lei.

O que falta para o governador mandar apurar o que está acontecendo no Conde? Cadê os deputados que apoiam Tatiana, Wellington Roberto e Genival Mathias, que não exigem a saída dessa delegada omisssa?

São perguntas que exigem respostas.

segunda-feira

Xuxa, Sasha e Junno Andrade vão ao enterro de Cirano, irmão da apresentadora

Xuxa, Sasha e Junno Andrade estiveram no cemitério Jardim da Saudade, no Rio de Janeiro, neste domingo, 13 de setembro de 2015 para o velório e enterro de Cirano Rojabaglia, irmão da apresentadora 


Cirano Rojabaglia, irmão de Xuxa Meneghel, morreu na madrugada de sábado, vítima de um infarto fulminante. Neste domingo (13), a apresentadora chegou ao cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, no Rio de Janeiro, para o velório e enterro do pai de Nikki Meneghel, sua sobrinha, que atualmente está no ar na novela "Os Dez Mandamentos".

Toda de preto, Xuxa chegou ao local acompanhada por seu namorado, Junno Andrade, e pela filha, Sasha. Luciano Szafir, ex-marido de Xuxa e pai de Sasha também foi prestar sua solidariedade à família. O ator vive o pai de Nikki na trama da Record, que tem batido recordes de audiência. Cirano era psicólogo e estava casado com Michele Kozoubsky. Além de Nikki o irmão de Xuxa também é pai de Pedro e Paloma.

Chorando muito, Xuxa foi consolada por amigos e familiares que estiveram no cemitério. A apresentadora seguiu de perto o cortejo que levava o corpo de seu irmão para ser enterrado. Durante todo o tempo Junno Andrade permaneceu ao seu lado, assim como Sasha, que também foi consolada pelo pai, Luciano Szafir.

Xuxa também enfrenta drama com a saúde de sua mãe

Xuxa também sofre um drama familiar com a mãe. Diagnosticada com o Mal de Parkinson, dona Alda passou a morar na casa de Xuxa, no Rio de Janeiro, onde fica sob o cuidado permanente de enfermeiras. Apesar de toda a assistência, a mãe da apresentadora precisou ficar internada em um hospital, por duas semanas, em meados de 2014. Na ocasião, Xuxa e seu namorado, Junno Andrade, passaram a noite no local e fizeram visitas constantes a dona Alda.

Desesperada com a possibilidade de perder sua mãe, Xuxa pediu orações aos seus fãs: "Oi, gente. Vocês podem rezar para a minha Aldinha? Por favor, estou sem força. Hoje ela não acordou para nada, dorme profundamente... Estou com medo", escreveu nas redes sociais.

Em janeiro deste ano, dona Alda completou 78 anos e ganhou uma homenagem de Xuxa. "Parabéns para a guerreira e mãe mais cheirosa do mundo... Te amo, te amo, te amo!", escreveu na legenda de uma foto das duas. Questionada por um seguidor sobre o estado de saúde de sua mãe, Xuxa respondeu: "Tá igual... Não anda e fala muito pouco... Mas sorri". E na última segunda-feira, dona Alda mostrou que apesar das limitações tem mantido o bom humor. A matriarca da família acompanhou o "Programa Xuxa Meneghel" ao vivo e se divertiu com as brincadeiras de Ivete Sangalo, que marcou presença na atração.

domingo

Sem Chimbinha, Joelma faz show em João Pessoa e chora no palco: "Obrigada pelo apoio"









Um dia após a Justiça do Pará determinar que Chimbinha deve manter distância de 100m de Joelma, a cantora se apresentou sem o ex-marido em um show do Calypso, na madrugada deste domingo (13), em João Pessoa, na Paraíba.


A cantora foi às lágrimas durante a apresentação ao cantar uma música que fala sobre a busca da força em momentos difíceis. "Obrigada pelo apoio", agradeceu ao público, segundo o “G1”.

Os fãs ainda mandaram mensagem de apoio e gritaram em coro “estamos com você”. "Hoje não é para chorar, hoje é para sorrir, é dia de ser feliz!", disse a loira aos admiradores.

O guitarrista pernambucano Ian Marinho assumiu o lugar de Chimbinha. Joelma ainda evitou a imprensa e não cedeu entrevistas.

Entenda o caso

Joelma fez uma denúncia de assédio contra Chimbinha, na última quarta-feira (9), em uma delegacia do bairro de Jaderlândia, Ananindeua, no Pará. A cantora alegou que tem sido procurada constantemente pelo ex, que não se conforma com a separação dos dois.

"A Polícia Civil tem a esclarecer, a respeito da denúncia formalizada pela cantora Joelma Mendes, na data de ontem, que o procedimento policial instaurado na Delegacia da Jaderlândia foi transferido para a Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), unidade policial de referência nacional na investigação de crimes relacionados à violência contra a mulher. A transferência do inquérito se deve em decorrência da natureza do crime denunciado, que está previsto na Lei Maria da Penha, e ainda pela repercussão do fato", informou a instituição ao "Ego".

O caso foi transferido para a Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM). Caso as autoridades aceitem as acusações da cantora, o artista poderá ser enquadrado na Lei Maria da Penha e sofrer sanções.

Rosalinda Arraes, delegada que está cuidando do caso, disse que está investigando também o vazamento do boletim de ocorrência registrado pela cantora para a internet.

"Ao mesmo tempo, a instituição policial esclarece que, por meio de sua Corregedoria-Geral, instaurou procedimento policial para apurar o vazamento ao público de informações contidas no boletim de ocorrência registrado pela cantora na Delegacia da Jaderlândia. A Polícia Civil ressalta ainda que todas as informações referentes à apuração da denúncia serão tratadas em absoluto sigilo, conforme previsto na legislação penal brasileira", afirmou a assessoria.

sexta-feira

Ex-primeira-dama da PB diz que não vê filho desde confusão na capital

Pâmela Bório se envolveu em briga com parentes de Ricardo Coutinho. 


Ricardo Coutinho, candidato a reeleição no governo da Paraíba, chega com a primeira dama e o filho à secção de votação, no Cabo Branco (Foto: Wagner Lima/G1 PB)

Ricardo Coutinho, Pâmela Bório e o filho em foto
antes da separação (Foto: Wagner Lima/G1 PB)
Entenda o caso

 A ex-primeira-dama da Paraíba, Pâmela Bório, afirmou que não vê o filho desde segunda-feira (7), dia em que se envolveu em uma confusão com parentes do ex-marido, o governador Ricardo Coutinho, na Granja Santana, a residência oficial do governador da Paraíba, em João Pessoa. Ela explicou que terça-feira (8) era o dia em que ela poderia, por determinação judicial, ficar com a criança. Porém, segundo ela, esse direito não lhe foi concedido. O advogado do governador, Fábio Rocha, nega que a jornalista e ex-esposa de Ricardo Coutinho esteja impedida de ver a criança.

Em Boletim de Ocorrência registrado no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disp) do bairro de Manaíra, na capital, a ex-primeira-dama diz que foi agredida pela sobrinha e pela irmã do governador, Ana Carolina Coelho Coutinho e Viviane Coutinho. Por sua vez, o advogado do governador, Fábio Rocha, afirma que foi Pâmela quem iniciou a confusão e começou a agredir a irmã do governador.

saiba mais
 
"Eu não tive acesso à granja. Fui na escola duas vezes e ele não foi pra aula. Nem avisaram que ele não ia. Ontem ele estava lá, mas ele estava em aula e era o dia do pai. E eu respeito a decisão judicial, o que não está acontecendo por parte do pai", disse.

O advogado de Ricardo Coutinho afirmou que a ex-esposa do governador é que tem se negado a buscar informações sobre a criança. "Isso é um reflexo desse cenário que Pâmela Bório cria. Ela tem a liberdade de procurar informações da criança, ela é chamada para participar do acompanhamento psicológico feito na criança. Mas ela simplesmente se recusa, ela não aparece", pontuou.

Pâmela afirmou que foi à escola para solicitar acompanhamento psicológico para o filho, que presenciou a briga. "Se pra mim foi de extrema violência, foi chocante, estou perplexa ainda, estou sem chão, imagina para uma criança", lamentou Pâmela. Sobre as agressões, Rocha disse que Ana Carolina e Viviane apenas se defenderam. "O objetivo não era praticar agressão e, sim, retirar a criança do carro", justificou.

"Os policiais estão ali para proteger a integridade psicológica e física da criança. Como ela impôs uma condição de somente devolver a criança se dirigindo à granja, essa condição foi observada pelos policiais como uma forma de evitar mais um tumulto, mais uma agressão, mais um constrangimento para a própria criança. Quando, na verdade, era somente aquilo que ela queria para criar toda aquela cena. Típico de uma ex-primeira-dama polêmica", disparou o advogado.

Em entrevista à TV Cabo Branco, Pâmela Bório relatou que estava indo com o filho a um shopping da capital. Os dois estavam acompanhados da guarda que faz a segurança da criança. Segundo relatou, ela estranhou quando o policial que dirigia o carro passou direto de duas entradas para o bairro onde fica o shopping e fez um desvio no trajeto.

“Ele falou ‘dona Pâmela, eu recebi a determinação agora de que a gente tem que pegar a janta de Henry’. Eu até estranhei pelo horário, estranhei pela questão dele desviar o trajeto. Porque em outras oportunidades que eles falavam que teriam que buscar alguma refeição, alguma coisa, eles não alteravam nem o nosso traslado, nem o lugar onde a gente estivesse”, contou.

Ela firmou que o motorista entrou na granja com ela e ela questionou o motivo, uma vez que existe uma ordem judicial que a impede de entrar no local desde março. “Ele sabe que eu não posso entrar. É ordem do governador”, enfatizou a ex-primeira-dama. Segundo Pâmela, assim que abriu a porta do carro, ela foi agredida por Ana Carolina e Viviane.

“Elas já vieram pra cima de mim eu perguntei ‘o que foi?’. E ela respondeu ‘o que foi nada, agora vamos acertar as contas’. Ela não tirou a criança do carro e passou a me atacar. Ela tentava me esbofetear, morder. Eu estou com duas mordidas na perna. Ela tentava tirar o celular da minha mão, porque eu estava em ligação, eu estava com o meu advogado na outra linha. Ela conseguiu arrancar a corrente que eu tava. Mas o que eu pude evitar de poupar as agressões, eu consegui dessa forma”, relatou.

De acordo com a ex-esposa do governador Ricardo Coutinho, o filho dela foi quem mais sofreu com a confusão. “O menino estava transtornado, ele gritava, ele chorava. E aí quando ela [Viviane] tava com o celular na mão, ela disse: ‘pronto, tá dado o recado, consegui o que eu queria’ e saiu. Carol, por sua vez, pegou o menino da cadeirinha e levou pra dentro de casa”, finalizou. Depois da briga, Pâmela registrou um boletim de ocorrência no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disp) de Manaíra.

O advogado do governador, Fábio Rocha, contou a versão da família. ‘O que ocorreu foi uma cena, uma armação, criada pela própria Pâmela com um único objetivo, que na expressão dela mesma, que ela já utilizou essa expressão: destruir a vida do ex-marido”, disse.

A primeira-dama Pâmela Bório é apontada por auditoria do TCE (Foto: Maurício Melo/G1) 
Pâmela Bório, ex-primeira-dama da Paraíba
(Foto: Maurício Melo/G1)
 
Segundo ele, não é a primeira vez que algo desse tipo acontece. “No domingo à noite, ela descumpriu uma ordem judicial, deixando de entregar a criança aos cuidados do pai, do genitor. Então chega o dia do feriado, dia 7. Ela diz que não vai devolver a criança e estabelece uma condição: entregar a criança mediante a ida dela à granja, para liberar o bloqueio em face do impedimento dela estar na granja”, afirmou o advogado.

Conforme Rocha, quem começou a confusão foi a ex-primeira-dama. “No instante em que a porta do carro foi aberta e que a tia, de 60 anos de idade, tentou pegar a criança, imediatamente iniciou um processo de agressões físicas e verbais da própria Pâmela. Ela partiu para a agressão. Isso está materializado em boletins de ocorrência, que as duas pessoas que estavam lá sofreram esse tipo de agressão. Na falta de elementos para construir uma cena, ela arquiteta esse plano, executa e, posteriormente, joga nas redes sociais para chamar atenção como uma pobre moça, uma vítima”, relatou.

O delegado que está responsável pelas investigações do caso é Antônio Brayner. Ele explicou que não vai se pronunciar no momento porque o caso ainda está na fase de depoimentos. Além de ouvir as pessoas envolvidas, ele também aguarda os laudos do Instituto de Polícia Científica (IPC).