sábado

O Diretor do presidio Serrotão em Campina Grande, Manoel Osório pedi DEMISSÃO.

Manoel Osório deverá deixar a direção do Serrotão

É tida como certa a saída do diretor da penitenciária do Serrotão, em Campina Grande, Manoel Osório. Ele disse que já informou oficialmente ao secretário da Administração Penitenciária, Wagner Dorta, a pretensão de deixar o cargo e parece estar decidido.

De acordo com Manoel, a decisão é de cunho pessoal. Já faz três anos que ele está à frente do maior presídio do estado, missão que exige muito tempo, dedicação, paciência e sorte.  

- Chega uma hora que não dá mais. Preciso me dedicar mais à família, fazer alguns cursos que tenho em mente, tratar de assuntos particulares que a rotina diária de um diretor prisional não permite. É apenas isso, nada de mais grave ou que possa despertar outra conotação – garantiu Manoel.

O LEGADO

Nesses três anos, pode-se dizer que o Serrotão passou por transformações significativas, refletindo resultados positivos. Durante esse período, o Serrotão não registrou nenhuma fuga de presos nem rebeliões. ‘Apenas’ um detento foi assassinado nessa gestão, o que não é absurdamente reprovável por se tratar de um presidio com mais de 900 presos, dentro de uma conjuntura de lotação prisional que atinge quase todos os presídios do país.

O número de atendimentos de saúde, assistência social e oportunidade de estudos aumentou na unidade. O Serrotão é destaque nacional devido ao projeto em parceria com a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), que implantou um campus universitário dentro da penitenciária.                                                
                                                                                 
É claro que esses avanços não são méritos de Osório, exclusivamente. Nada disso seria possível sem as entidades parcerias, como a UEPB e o Senai, que sempre estão presentes naquela unidade. Sem esquecer, evidentemente, dos demais diretores, agentes, policiais militares e profissionais de outros serviços, lotados na casa penal.

Mas por se tratar de um ambiente de segurança, as principais decisões tomadas em um presídio saem da sala da direção. Nada mais justo do que reconhecer o trabalho que Manoel e sua equipe vêm fazendo. Os números justificam os elogios.

Se a saída for para valer mesmo, nossos parabéns ao diretor. E boa sorte a quem vier assumir o posto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário