sábado

Pastor é preso por vender DVDs falsos em loja na Serra, ES

Um pastor da Igreja Evangélica Assembleia de Deus foi preso na manhã desta quinta-feira (27), na Serra, na Grande Vitória. Segundo a polícia, ele comercializava produtos falsificados em uma loja de artigos religiosos. Até as 18h40, o G1 não conseguiu estabelecer contato com a igreja.
 
 
 
 
O pastor Manoel foi preso em flagrante, pagou fiança e vai responder em liberdade pelo crime de violação de direitos autorais. “Passou gente na loja vendendo. Eu fui enganado. Comprei sem nota fiscal”, disse o religioso.
 
À polícia, o pastor contou que adquiriu CDs e DVDs do Pastor Duarte, personalidade conhecida no cenário gospel, por R$ 5,50 para revender a R$ 10, sem ter conhecimento de que os produtos eram falsos. Mas, segundo o delegado Orly Fraga, da Delegacia de Defraudações, ele continuou comercializando as mídias mesmo após saber que não eram originais. "Ele entrou em contato com a assessoria do pastor Duarte, que fica no Rio de Janeiro, e soube que os originais eram vendidos a mais de R$ 17, mas continuou vendendo para não ficar no prejuízo", explicou.
 
O delegado explicou que chegou ao pastor após denúncias dos próprios consumidores que adquiriram as falsificações. "Fieis que compraram os produtos denunciaram o caso para a assessoria do Pastor Duarte, que comunicou o caso à nossa delegacia", disse.
 
Policiais estiveram na loja onde os produtos falsos eram comercializados, mas não souberam identificar a falsificação. "O produto era muito bem feito, difícil de saber que era falso. Então nós pedimos que a assessoria do Duarte enviasse as mídias originais para que nós comparássemos. Depois disso, constatamos a falsificação e pudemos fazer a apreensão", contou o delgado.
 
Agora, a polícia investiga quem forneceu os produtos falsificados e se outros artigos religiosos comercializados no estabelecimento também são falsos. "Algumas outras coisas estão sob suspeita e vão passar por uma perícia", informou Orly. O pastor foi autuado por violação de direitos autoriais, pagou fiança de um salário mínimo e responde em liberdade.
 
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário