terça-feira

Evangélicos atacados e quase queimados por católicos no México ao retornarem as suas casas

Um grupo de evangélicos indígenas do estado de Chiapas no México foram expulsos de suas terras a 3 anos por um grupo de católicos das zona rural por não seguirem o catolicismo. Os evangélicos cansados de viver longe de sua casas decidiram voltar e foram detidos, espancados, ameaçados de morte e presos. 
Dois líderes evangélicos e 31 pessoas foram libertadas na manhã de quarta-feira(26), após ter sido mantido em cativeiro em uma aldeia indígena, de acordo com relatório autoridades
Os evangélicos foram agredidos e detidos ilegalmente por um grupo de católicos em uma comunidade indígena, ao tentarem regressar às suas casas na comunidade de Los Llanos, no estado de Chiapas/México. Já que após o conflito entre autoridades rurais da religião católica e serem expulsos de suas terras por não aceitarem a seguir a religião católica, os índios evangélicos estavam morando em uma casa improvisada na cidade de San Cristóbal de Las Casas, esperando até a questão fosse resolvida pelas autoridades governamentais e eles pudessem voltar a morar em suas casas nas suas terras.
“Infelizmente, o governo do estado não faz nada, por isso decidimos retornar, pois estamos cansados”, disse o pastor Manuel Collazo(foto), líder dos Povos Organização Evangélica de Los Altos de Chiapas (OPEACH) ao iniciar a viagem de volta e que foi aprisionado pelos católicos.
Foram 33 índios da etnia tsotsil, que foram agredidos, incluindo 10 crianças. Os agressores fazem parte das autoridades comunitárias rurais. De acordo com os repórteres que cobriram o caso, o grupo de católicos atacou os evangélicos a gritos e pedradas obrigados a deixar tudo que eles traziam, inclusive os motoristas foram forçados a abandonarem os veículos que traziam seus pertences. Os evangélicos não ofereceram resistência.
Com eles estavam Esdras Alonso González(foto), pastor e líder da ONG Alas de Aguila, e o representante da Organização dos PovosEvangélicas do Planalto de Chiapas (Opeach), Manuel Collazo, que os acompanhava. Os dois foram amarrados, espancados e jogado gasolina neles a gritos aterrorizadores de “vocês vão queimar”, foram forçados a andar um quilômetro e depois foram amarrados mãos e pés em um local longe dos fiéis.
As autoridades pediram aos católicos para libertarem os líderes indígenas Esdras Alonso González e Manuel collazo Gomez e os 31 fiéis capturados na terça-feira. O secretário do Governo Mario Carlos Culebro foi o responsável pela negociação.
A família do pastor solicitou a intervenção do governo do estado para liberar o grupo.
As quatro famílias atacadas tinham sido expulsos da comunidade em janeiro de 2010, por professar outra religião que não o catolicismo. Suas casas foram queimadas e os seus bens destruídos.
Segundo informação dada pela Coordenação das Organizações cristãs são pelo menos 21 comunidades que têm conflitos religiosos em Chiapas.
Em uma recente carta ao governador Manuel Velasco Coello, a entidade manifesta a sua “preocupação com o aumento nos últimos anos de casos de intolerância religiosa em Chiapas, sem qualquer autoridade pública levar a sério esta questão que prejudica significativamente toda a sociedade “.
NOTA: O post tem como objetivo maior pedir aos amados irmãos em Cristo para que OREM por esta situação que esta passando estes irmãos venha a ser, através do Espírito Santo do Senhor ser resolvida e a Paz do nosso Senhor e Salvador Jesus reine no meio deles. - Amém…
Fonte: Infor Gospel

Nenhum comentário:

Postar um comentário