quinta-feira

O deputado federal Luiz Couto (PT-PB) sugeriu terça-feira (18/6), durante audiência pública da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Pessoas no Brasil

O deputado federal Luiz Couto (PT-PB) sugeriu terça-feira (18/6), durante audiência pública da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Pessoas no Brasil, uma acareação entre Reginaldo Pinheiro dos Anjos, suposto empresário e 'olheiro de futebol', e os adolescentes recrutados por ele com a promessa de ingressarem na Associação Desportiva Confiança, time de Aracaju.

Couto, que é vice-presidente da CPI, citou notícia veiculada na imprensa de que sete adolescentes teriam sido encontrados com Reginaldo, e contaram para a polícia que eram aliciados e se houvesse recusa em manter relações com ele ficavam privados de comida e liberdade.



"A delegada Mariana Diniz, responsável pelas investigações, declarou que o suposto olheiro é acusado, ainda, de cobrar das famílias dos futuros jogadores entre R$ 100,00 e R$ 450,00 para cobrir as despesas de moradia e alimentação, apesar de terem condições financeiras desfavoráveis", acrescentou o parlamentar.

Luiz Couto afirmou que a acareação foi aceita por Reginaldo, que negou todas as acusações de aliciamento e tráfico de adolescentes de São Paulo, Santa Catarina, Bahia e Goiás em escolinhas de futebol. "Reginaldo dos Anjos - conhecido como Doutor - está preso desde fevereiro em Aracaju, dois meses após a polícia iniciar as investigações sobre o caso", informou.
No decorrer da audiência, que foi realizada no plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal, o deputado paraibano pediu à CBF que verifique a existência de outras pessoas que se passam por olheiros de futebol, "mas que enganam os adolescentes que buscam uma vida melhor".


Couto também manifestou preocupação com as quadrilhas de tráfico de pessoas e de exploração sexual de crianças e adolescentes que, segundo ele, podem entrar no País, por ocasião da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016.
Além de Reginaldo dos Anjos, a CPI também ouviu o diretor de Registros e Transferência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Luiz Gustavo Vieira de Castro.

Ascom Dep. Luiz Couto, com Agência Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário