sábado

Muçulmanos incendeiam casas de cristãos o Paquistão

Um grupo de aproximadamente três mil muçulmanos atacou casas de família e lojas de propriedade de cristãos no Paquistão, deixando centenas de fiéis sem casa para morar. O grupo também atacou uma igreja, e o motivo desse ataque foi uma acusação falsa de que um cristão, supostamente, teria blasfemado contra o profeta Maomé.


Muçulmanos incendeiam casas de cristãos o Paquistão


Após isso, no dia 9 de março, muitos cristãos fugiram da cidade de Joseph Colony, na área de Lahore, com medo da violência. Eles temeram por suas vidas após escutarem uma mensagem vinda dos alto-falantes das mesquitas locais que exortavam muçulmanos a “matarem os blasfemos”.

O ataque foi uma reposta a uma queixa apresentada contra Savan Masih, no dia anterior por um muçulmano local. A multidão atacou a casa de Savan e também invadiu propriedades de outras famílias cristãs, saqueando seus bens e deixando seus lares em chamas. Um total de 178 casas e 75 lojas foram destruídas; muitos cristãos ficaram sem nada. Bíblias também foram queimadas. Os agressores não conseguiram achar Savan, mas encontraram seu pai, Chaman Masih, e o agrediram.

A organização de ajuda humanitária Barnabas está trabalhando com parceiros locais para ajudar os cristãos desabrigados de Joseph Colony a reconstruírem suas vidas. As autoridades paquistanesas reagiram com firmeza à violência anticristã. O presidente Asif Ali Zardari e o Primeiro Ministro Raja Pervez Ashraf solicitaram a abertura de um inquérito. O governo de Punjab anunciou que os cristãos serão compensados por suas perdas, e que os processos contra os criminosos serão levados a juízo. Cerca de 150 suspeitos foram detidos.

O incidente ainda é um vestígio da violência em Gojra, de 2009, em que mais de 60 casas cristãs foram incendiadas e oito cristãos foram mortos. Até agora, ninguém foi condenado por esse ataque. Centenas de cristãos que foram obrigados a deixar suas casas em Maherabad após uma falsa acusação de blasfêmia contra a adolescente Rimsha Masih em agosto de 2012, ainda não puderam voltar para casa.

Patrick Sookhdeo, Diretor internacional da fundação Barnabas, declara: “Mais uma vez, uma comunidade inteira no Paquistão foi arruinada e destruída por extremistas islâmicos por causa de acusações de blasfêmia sem fundamento. É bom saber que esses cristãos indefesos receberão ajuda do Estado, mas é provável que eles necessitem de ajuda de seus irmãos e irmãs de todo o mundo”.

WWW.WEBRADIOCASC.COM.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário