sexta-feira

No Irã, mais um pastor evangélico é preso e condenado a seis anos de detenção

Mais um fato envolvendo intolerância religiosa no Irã culminando na prisão de um pastor evangélico, o caso mais famoso é o do pastor Youcef Nadarkhani, que foi condenado a morte por ter se convertido ao cristianismo. Desta vez, foi outro pastor, Farshid Mathi, que foi julgado e sentenciado a cumprir seis anos de prisão por exercer o ofício de pastor e realizar trabalhos religiosos cristãos.
O pastor Mathi foi preso em 2010, suas atividades foram consideradas com crime político, porém, o que ele realizava era um trabalho missionário no país. Na semana passada ocorreu a audiência de apelação, o último recurso que o pastor tinha, mas seu pedido foi negado e ele deverá continuar preso até cumprir a pena máxima, conforme publicação do site Christian Today.
Segundo Sam Yeghnazar, reverendo que tem transmitido informações do pastor Mathi, o fato é mais um que mostra intolerância religiosa e injustiça contra os cristãos iranianos, mesmo com garantias constitucionais do país. Mas, ele explicou que isso terá um efeito reverso, “Estou convencido de que quanto maior for a perseguição contra cristãos, mais a igreja vai crescer no Irã. Tal injustiça só vai causar aos iranianos, curiosidade de saber o que Farshid anunciava sobre Jesus”, explicou Sam.
O governo iraniano tem tomado medidas para conter o crescimento do cristianismo no país, dentre elas, a destruição de monumentos que simbolizam a fé cristã, além de inúmeras restrições para impedir a propagação da mensagem de Cristo.

Fonte: Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário