quarta-feira

Fabiana Lobo diz que reordenamento é necessário, mas MP analisará caso a caso



fabiana 

A Curadora da Educação de João Pessoa, Fabiana Lobo, falou, na tarde desta segunda-feira (09), com exclusividade a reportagem do WSCOM Online, sobre a polêmica gerada nos últimos dias na Paraíba sobre o suposto fechamento de escolas por parte do Governo do Estado.
Mais cedo, o vereador Tavinho Santos (PTB) disse que vai marcar até a próxima sexta-feira, 13, uma audiência com a curadora para solicitar que o Ministério Público cobre, com urgência, explicações Estado sobre o fechamento de mais de 30 escolas públicas na Capital.
Na entrevista, Fabiana Lobo disse que, levando-se em consideração as análises feitas pelo Ministério Público em escolas de João Pessoa, o reordenamento é necessário, pois existe várias escolas funcionando em instalações com péssimas condições de infraestrutura e com número insuficiente de alunos.
“Temos visto diversas irregularidades, a exemplo de prédios sem condições físicas de funcionamento e escolas que deveriam ter 1000 alunos, com apenas 100 matriculas. Então, em tese o reordenamento é necessário”, disse.
A curadora citou o caso da escola Poetisa Violeta Formiga, na comunidade do Taipa, em João Pessoa. Segundo ela, de 2010 para 2011, o MPE determinou o fechamento da escola, que funcionava com apenas 20% da sua capacidade no período da tarde, e a transferência dos alunos para a Capistrano de Abreu, na mesma localidade, com atuação no horário da manhã.
“Isso é questão de economia de dinheiro público, o reordenamento é uma questão de gestão, um ferramenta administrativa”, afirmou.
Mesmo favorável ao reordenamento, a curadora disse que o MPE vai analisar caso a caso, pois é inadmissível que os alunos fiquem sem escolas perto das suas residências.
“O que não podemos é deixar alunos sem escolas perto de sua residência, é inadmissível, por isso iremos analisar cada caso isoladamente”, declarou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário