domingo

RC rompe o silêncio sobre discriminação da Fiat, garante que fábrica de PE vai contratar paraibanos e vê má fé da oposição

O Governador Ricardo Coutinho (PSB) resolveu romper o silêncio sobre a discriminação do governo de Pernambuco e da Fiat Automóveis contra os trabalhadores da Paraíba. Coutinho garantiu, na tarde deste sábado (10/12) que a montadora italiana irá contratar paraibanos para a fábrica que será instalada no município pernambucano de Goiana – na divisa entre os dois estados.

 
A denúncia foi feita pelo PBacontece, no dia 02 deste mês, com base em release da Secretaria do Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo do Estado de Pernambuco, publicado na mesma data pelo jornal “Diário de Pernambuco”. A matéria informa que O cadastramento e os cursos de capacitação serão restritos a trabalhadores de 13 municípios da região polarizada por Goiana.
Na Nota à Imprensa, divulgada em primeira mão pelo blog do jornalista Luis Tôrres, o governador classificou como “uma extrema mentira” a tese de seleção excludente. E, em trechos de nota escrita à própria mão, classificou a informação como “mentira descarada; resultado de má-fé”.
“Por mais esforço mental que alguém possa fazer, seria meio surrealista alguém acreditar que, em pleno século XXI, uma empresa – ainda por cima, a maior multinacional fabricante de veículos do planeta – aceitaria que algum governo ou instituição restringisse a contratação de empregados a limites municipais. A Fiat vai contratar os empregados que ela julgue estar preparados, naturalmente, sem levar em conta se esse torneiro-mecânico ou soldador reside aqui ou acolá. Quanta bobagem, ardentemente repetida, como se não houvesse outras pautas verdadeiras e meritórias para merecer a preocupação da Paraíba”, disparou Coutinho.
Ricardo anunciou e confirmou que o governo da Paraíba vai oferecer cursos de capacitação para preparar os paraibanos que estiverem interessados em trabalhar não apenas para a fábrica da Fiat, mas para todas as empresas fornecedoras que vão alimentar a cadeia produtiva da montadora.
Para o governante paraibano, o que houve foi a deturpação da convocação por parte do governo pernambucano para trabalhadores de Pernambuco que estejam interessados em se preparar para trabalhar na Fiat.
- O motivo da descarada deturpação (mais uma…) é o anuncio da oferta de vagas para formação de mão de obra especializada, pelo Governo de Pernambuco, através do SENAI, onde, por razões óbvias e ululantes, o governo daquele Estado prioriza formar pessoas daquele Estado. Eles inscreveriam gente de onde, por acaso? Alagoas, Paraíba, Japão…? Claro que eles vão formar profissionais pernambucanos. O Estado da Paraíba, por exemplo, atualmente, abriu seis mil vagas, através do Sistema S, para cursos de formação profissional nas mais diversas áreas e só inscrevemos pessoas que moram na Paraíba. Outros cursos que iremos realizar, mais direcionados às atividades laborais próprias de um complexo automotivo, também e naturalmente, faremos para pessoas que residam em nosso Estado. Além disso, quem contrata trabalhadores para fábricas não é o governo da PB ou de PE – argumentou.
Revoltado com o que chamou de mentira descarada, o governador dispara: “Agora, o mais chocante, confesso, não é nem a ignorância. É a má-fé. Já imaginou o que fazem dois senadores e alguns deputados, gente com a responsabilidade de ocupar tribunas parlamentares por onde passaram grandes nomes da política brasileira, em bradarem em alto tom que “paraibanos estariam sendo proibidos de trabalharem numa futura fábrica que está em território brasileiro”.
No final da Nota, Ricardo Coutinho lembra que a oposição está desesperada porque em 2012 a Paraíba vai sair de um patamar de R$ 450 milhões de investimentos por ano para R$ 2,5 bilhões. “Não preciso dizer mais nada”, concluiu.
 

Nova fábrica da Fiat será construída no município de Goiana (PE)
“Governo abre mais de 6 mil vagas em cursos de qualificação para a Fiat
A Secretaria do Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo vai abrir inscrições, na próxima segunda-feira (5), para os interessados em trabalhar na construção da nova fábrica da Fiat em Pernambuco. A montadora será erguida ao custo de R$ 3 bilhões no município de Goiana, na Zona da Mata Norte do estado. O cadastramento e os cursos de capacitação serão restritos a trabalhadores de 13 municípios da região.
Além de Goiana, serão cadastrados candidatos em Itaquitinga, Condado, Aliança, Ferreiros, Itambé, Camutanga, Timbaúba, Igarassu, Itapissuma, Abreu e Lima, Araçoiaba e Itamaracá. Ao todo, serão inscritas 10.173 pessoas, que devem ocupar um total de 6.782 vagas nos cursos. A maioria das ocupações exige Ensino Fundamental e a seleção vai priorizar beneficiários do Bolsa Família e do Seguro Desemprego.
“Depois de uma reunião ontem com representantes da Fiat ficou decidido o cronograma de execução da seleção, com início dos cursos previsto para 2 de janeiro de 2012. Os municípios foram selecionados de acordo com a proximidade de Goiana, para permitir que o deslocamento das pessoas para o trabalho ocorra sem a separação do ambiente familiar. É também uma intenção da empresa que a fábrica empregue profissionais na região onde será construída”, detalhou o secretário do Trabalho, Antônio Carlos Maranhão.
Segundo o secretário, a previsão é de que a Fiat comece a chamar os trabalhadores entre março e abril de 2012. As oportunidades são para ajudante de pedreiro, auxiliar de almoxarifado, armador, almoxarife, apontador, azulejador, carpinteiro, encanador, encarregado de obras, operador de máquinas pesadas, pedreiro, pintor, servente, supervisor de montagem e ajudante de montagem.
As vagas serão direcionadas por ordem de inscrição, de acordo com as prioridades para pessoas que recebem Bolsa Família e Seguro Desemprego. Os candidatos podem se inscrever mesmo sem ter a comprovação do nível de escolaridade. Nestes casos, terão até o dia 15 de dezembro para apresentar a documentação, no mesmo local onde se inscreveram. Nas cidades onde o processo ocorrerá no dia 15 de dezembro, não haverá alteração de prazo e a documentação precisará ser entregue também até esta data.
Os candidatos às ocupações que exigem Ensino Fundamental Incompleto e Ensino Fundamental Completo e que não consigam comprovar a escolaridade serão encaminhados para um curso de reforço de escolaridade de 100h/aula. Ao fim do processo, passarão por uma avaliação, para só depois serem encaminhados para os cursos profissionalizantes. Os parceiros nestas etapas são o Sesi e o Senai.
Juliana Cavalcanti, do Diario de Pernambuco”
Da Redação PBAcontece com informações do blog do Luís Tôrres e Diário de Pernambuco


Nenhum comentário:

Postar um comentário