segunda-feira

Menina perfurada por agulha na Paraíba volta para casa após cirurgia

Segundo mãe, clima é de alegria na casa da familia em Patos.
Cirurgião retirou dois pedaços de agulha da região lombar da criança.

Segundo mãe, filha mais velha derrubou lata de agulhas e a caçula deitou em cima sem perceber (Foto: Karoline Zilah/G1)
Segundo mãe, filha mais velha derrubou lata com
agulhas e a caçula deitou em cima sem perceber
(Foto: Karoline Zilah/G1)

A menina que teve uma agulha alojada na região lombar na noite da quinta-feira (1) na Paraíba já está em casa. Em conversa com o G1 nesse domingo (4), a mãe da criança, a costureira Lucilene de Lucena Brito, disse que o clima em casa é de alegria. Segundo ela, a filha está muito bem, comendo, brincando e sorrindo. “Ela não fica parada um minuto e nós estamos muito felizes”, falou.
A criança foi submetida a uma cirurgia na sexta-feira (2) para a retirada da agulha que estava nas costas. De acordo com médico cirurgião pediátrico Gonçalo Vieira de Sá, responsável pelo procedimento, ocorreu tudo bem. Foram retirados dois pedaços do objeto que estava na região lombar da criança.

Raio X mostra agulha partida próximo à coluna vertebral, abaixo do pulmão (Foto: Karoline Zilah/G1)

A mãe da criança disse que o pior momento já passou. “Tivemos um enorme susto, foram horas de grande preocupação, mas agora está tudo bem. Agora é tomar os cuidados para que ela fique bem logo”, explicou.
Acidente doméstico
De acordo com a mãe, a filha de 12 anos mais velha teria derrubado uma lata de agulhas na cama e a caçula, de três anos, acabou sendo perfurada quando se deitou para assistir televisão. “Eu estava na calçada de casa terminando de costurar uma bolas quando ouvi o grito: ‘mamãe!’. Sai desesperada. Ainda tentei puxar a cabeça da agulha, mas ela acabou se partindo”, disse a mãe.
As informações preliminares do hospital eram de que a agulha estaria no pulmão, mas, após os exames, a equipe médica constatou que o objeto ficou na região cutânea e não atingiu nenhum órgão vital. O acidente aconteceu em Patos, onde a familia mora, no Sertão paraibano. Porém, devido à complexidade do caso, a menina teve que ser transferida para um hospital de Campina Grande.

Nenhum comentário:

Postar um comentário