quarta-feira

Como aproveitar melhor o sexo em diferentes fases da vida

Quando o assunto é sexo, a busca pelo prazer e pela satisfação é quase incansável. A invenção de remédios para a impotência, as terapias de reposição hormonal e o aumento da expectativa de vida contribuem para que a prática sexual esteja mais presente na rotina dos brasileiros. Mas para ter uma vida sexual mais prazerosa em diferentes fases da vida é importante entender as alterações do organismo ao longo dos anos. 

 

A médica fisiologista Cibele Fabichak, de São Paulo (SP), afirma que, apesar do vigor e da qualidade da atividade sexual não serem os mesmos no decorrer dos anos, não há um padrão sexual a ser seguido em cada fase. Cada pessoa possui características genéticas, hormonais, psicológicas, religiosas, entre outras, que influenciam suas relações. “Não ter um determinado comportamento sexual em uma certa idade não significa ser anormal, pois cada um é o resultado da mescla de experiências e características individuais”. Veja como desfrutar o melhor do sexo, desde os 20 anos:

Aproveite melhor o sexo
Aos 20
Eles
Nessa idade, a quantidade de testosterona, hormônio responsável pelo desejo sexual (inclusive na mulher), alcança os mais altos índices. “Para os homens, essa fase significa o auge da libido e da busca por sexo”, diz a fisiologista Cibele Fabichak. O problema é que nesse período, eles, muitas vezes, são afoitos e acabam se esquecendo das preliminares, gerando frustrações nas parceiras.
A psicóloga Sônia Fuentes diz que, nessa fase, muitos rapazes se sentem acuados diante das investidas femininas. “Eles se sentem cobrados e têm medo de falhar”, afirma. “O caminho é o homem se posicionar e começar a encontrar os seus limites. Ser macho é saber, também, dizer não, expressar suas vontades e escolhas”, afirma Sônia.
Elas Do ponto de vista fisiológico, é a década ideal para engravidar, mas muitas mulheres não conseguem experimentar o orgasmo, pois se sentem inseguras com o próprio corpo ou idealizam de forma exagerada o parceiro. Isso gera frustração e mais insegurança. Os padrões estéticos e a preocupação com a forma física, geralmente, são muitos fortes nessa faixa etária.
Dicas para os dois É importante se conhecer. “Olhe-se no espelho, procure explorar suas zonas erógenas para ter poder ter mais prazer e ajudar seu parceiro a lhe satisfazer também”, ensina a psicóloga Sônia Fuentes.
Aos 30
Eles
A atividade sexual permanece alta, mas tende a cair um pouco em relação à década anterior. Os homens se satisfazem com um menor número de orgasmos, mas atingem rapidamente a ereção. As fantasias eróticas não são prioridade. Eles dão mais atenção às preliminares por serem mais experientes. Muitas vezes, não valorizam a necessidade de reconquistar constantemente a parceira, e a autoconfiança, às vezes, pode dificultar os relacionamentos estáveis.
Elas O desejo tende a ser alto, principalmente no início de um novo relacionamento. Múltiplos orgasmos podem acontecer e a mulher sente sua plenitude sexual, devido à experiência, à perda de bloqueios sexuais e à facilidade de se encontrar parceiros disponíveis.
Dicas para os dois Explore leituras, contos eróticos, filmes, comidas e livros sobre sexo. “Conhecer o universo da sexualidade humana não significa que você deva fazer uso de todas as possibilidades que lhe sugerem, mas tudo isso ajuda, sim, a ampliar a expressão de sua sexualidade”, enfatiza a psicóloga Sônia Fuentes.
Aos 40
Eles
A frequência de relações tende a diminuir um pouco. O vigor das ereções também diminui, se comparado ao dos 20 anos. O corpo já não responde tão rápido e intensamente aos estímulos sexuais; essa resposta, na verdade, depende também do seu estilo de vida. “Porém, a experiência e a capacidade de satisfazer a parceira com preliminares podem se transformar no seu ponto positivo”, explica a fisiologista Cibele Fabichak.
Elas “Essa pode ser a década da plenitude sexual devido às experiências adquiridas nas décadas anteriores, entretanto, as variações hormonais da pré-menopausa podem começar a se manifestar”, comenta Cibele. “Um parceiro compreensivo e uma avaliação endócrino-ginecológica podem ajudar nesse período”, afirma a fisiologista.
Dicas para os dois As transformações no corpo por conta do passar dos anos, para algumas pessoas, constituem motivo de vergonha. Ter um corpo em forma pode ajudar a ter uma boa performance sexual, mas isso não é garantia para obter a melhor experiência da vida.
“A expressão da afetividade é, sem dúvida, o maior e melhor ingrediente para sua vida sexual. E, vale lembrar, a experiência da sexualidade se dá não só no intercurso sexual. Às vezes, um olhar de cumplicidade é muito mais erótico do que uma transa de uma hora”, conclui a psicóloga Sônia Fuentes.
Aos 50
Eles
O número de orgasmos pode permanecer o mesmo que o da década passada (dois a três por semana), mas o tempo para atingir a ereção é maior e necessita de mais estímulos. As preliminares e a habilidade em desenvolvê-las passam a ser o ponto forte dos cinquentões, que se tornam excelentes e pacientes amantes. “E se a função erétil não for satisfatória como nos ‘velhos tempos’, o médico pode receitar ao homem medicamentos para restaurar sua potência”, alerta Cibele Fabichak.
Elas Mesmo com o surgimento da menopausa, a mulher continua a sentir desejo. Alterações hormonais, como a queda dos estrógenos e da progesterona, levam a algumas mudanças durante o ato sexual: a lubrificação vaginal diminui e a mulher pode sentir dor durante a relação. A diminuição dos hormônios pode causar irritabilidade, depressão e até agressividade. É indicado consultar um ginecologista e/ou endocrinologista para amenizar essas alterações fisiológicas.
Dicas para os dois A regra é não ter regras. Você é a pessoa que mais conhece o seu desejo. “É preciso ter disponibilidade interna e externa para fazer sexo”, diz a psicóloga Sônia Fuentes. “Muitas vezes, um afago no cabelo ou um simples abraço nos satisfaz. Realizar um jantar íntimo e desfrutar a delicia de estar junto do outro, só conversando e relembrando momentos a dois, podem ser tão gostosos quanto transar”, afirma Sônia.
Depois dos 60
Eles Apesar de não haver uma queda tão drástica de hormônios, a partir dessa idade o homem já tem níveis de testosterona menores. O desejo continua, mesmo que as fantasias e pensamentos eróticos são sejam tão frequentes. O vigor das ejaculações também diminui, mas o homem tende a experimentar com mais ardor os orgasmos advindos de muita experiência.
Elas Nessa fase, o desejo pode e deve ser cultivado. A experiência, a habilidade e a capacidade de conhecer intimamente o par podem proporcionar novas experiências sexuais. O prazer de sentir o outro sem pressa ou a despreocupação de se enquadrar em padrões sexuais pode tornar o sexo mais prazeroso.
Dicas para os dois Atualmente, há um movimento a favor de que se viva a velhice com qualidade de vida. Hoje, os idosos têm à disposição universidades da terceira idade (o que facilita relacionamentos sociais e afetivos), oportunidades de trabalho, cursos diversos, viagens e uma série de atividades que promovem uma vida prazerosa e produtiva. E esses fatores podem contribuir direta ou indiretamente para um sexo com mais qualidade. Vale aproveitar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário