quarta-feira

Vazamento de óleo em gerador fecha shopping no Centro de JP

Tássio Ponce de Leon
Um vazamento de óleo diesel dos geradores do Tambiá Shopping seguido de uma ordem de evacuação do prédio provocou pânico e correria nas pessoas que estavam no estabelecimento, na manhã de ontem. Um forte cheiro de combustível podia ser sentido já do primeiro andar. Vários passaram mal e tiveram de ser atendidos pela equipe médica presente no local. Apesar disso, o advogado do Tambiá Shopping, Eduardo Braga, negou que uma ordem de evacuação oficial tivesse sido dada, afirmando também que não havia nenhum risco aos clientes. A Secretaria de Meio Ambiente de João Pessoa esteve no local e determinou que o problema fosse corrigido ontem. Hoje, o shopping deverá passar por nova inspeção antes de ser reaberto.
“De madrugada, houve um vazamento de óleo diesel, que alimenta o gerador. O sistema nosso é automático e, por esse motivo, a bomba disparou e o óleo vazou pelas tubulações, havendo infiltração para dentro do shopping, em uma das lojas da praça da alimentação, a Playtoy. Quanto à segurança, não há risco de explosão ou de incêndio. Apenas interditamos o 3º piso, onde fica localizada a loja, por conta do cheiro e para que a gente possa fazer a limpeza e, o mais rápido possível, liberar o andar”, explicou. Entretanto, a administração do shopping e os lojistas decidiram que todo o prédio ficaria fechado durante o resto do dia de ontem.
Um funcionário da Brigada de Incêndio do shopping que não quis se identificar informou que, desde as 8h30, antes da abertura dos portões à população, o vazamento já havia sido identificado. “Estava havendo um pequeno vazamento na reserva de combustível que abastece o gerador, na sala de máquinas. Tentamos conter o vazamento, mas achamos que não isso não ia tomar grandes proporções, por isso o shopping foi aberto em seguida”, disse.
Os bombeiros chegaram ao local por volta das 10h30. Segundo o sargento Maurizio de França Ferreira, do Corpo de Bombeiros, não havia risco às pessoas presentes no local, não havendo motivos para pânico. “É só o trabalho da limpeza do óleo diesel que precisa ser feito”, explicou.
Filme interrompido
No momento do incidente, cerca de 120 crianças se encontravam no cinema. Elas vinham em excursão do Sesquicententário, colégio estadual localizado em João Pessoa. Cursando o 4º e 5º anos, com idade em torno de 10 anos, elas afirmaram que não perceberam nada errado, até que deixaram a sala. A professora que as acompanhava, que não quis se identificar, confirmou que não perceberam nada errado, até que o filme foi interrompido faltando 10 minutos para o final. “Acho que mandaram nós sairmos porque viram que a situação poderia se agravar”, contou a professora.
Audiências do TRT foram transferidas
O incidente ocorrido ontem, no Tambiá Shopping, afetou diretamente as audiências que estavam marcadas no Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba (TRT). O vice-presidente, desembargador Carlos Coelho, que está no exercício da Presidência, informou, através de nota, que as audiências de conciliação marcadas e que não aconteceram poderiam ser realizadas na sede do Tribunal do Trabalho, próximo à Praça da Independência.
O funcionário da 3ª Vara do Trabalho, Francisco Oliveira, informou que, no momento do incidente, o fórum estava realizando uma audiência, quando a segurança deu a ordem de evacuação do shopping. “Saímos na hora. Os diretores das varas foram mandando todos saírem. Só deu tempo mesmo de desligar os computadores”, contou.
O TRT da Paraíba está realizando, durante esta semana, a Semana Nacional de Conciliação e Execução Trabalhista, promovida pelo Conselho Nacional de Justiça e pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho.
Pessoas passaram mal
Felipe Viana foi uma das pessoas que passaram mal devido ao forte cheiro de óleo diesel dentro do Tambiá Shopping. “Estou aqui com o estômago embrulhado por causa disso”, contou. O sogro dele também passou mal. “Meu sogro tem 42 anos e está no pronto-socorro esperando atendimento. Ele veio fazer compras de Natal e agora ele está lá”, disse.
Ao menos três mulheres também se sentiram mal na porta do shopping, conforme presenciou a reportagem. Uma vendedora que não quis se identificar afirmou que a situação era a mesma dentro das lojas. “As meninas lá da loja estão vomitando por causa desse cheiro forte, e isso porque a loja é no primeiro andar”, contou.
Parecer da Semam
A chefe de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente de João Pessoa (Semam), Socorro Menezes, informou que uma vistoria realmente constatou vazamento de óleo diesel do sistema que abastece o gerador, na casa de máquinas. Caso o problema não tenha sido consertado e o shopping volte a funcionar, a chefe da fiscalização afirmou que uma multa entre R$ 15 mil e R$ 50 mil por dia seria cobrada. Além disso,    a Semam exigiu também que a administração apresentasse o destino que seria dado ao óleo. “Queremos saber o que será feito com o óleo, pois simplesmente não se pode jogar em qualquer lugar, seja na rua ou na rede de esgotos”, explicou Socorro Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário