sábado

Tartaruga Saci Pererê é devolvida ao mar


A Associação Guajiru devolveu, na tarde de ontem, uma tartaruga marinha com aproximadamente três anos de idade ao mar. Encontrada em Barra de Mamanguape sem uma das patas, ela foi batizada de Saci Pererê. A coordenadora do Projeto Tartarugas Urbanas, Rita Mascarenhas, relatou que o animal estava com alguns arranhões na região do ventre e foi alimentada e medicada na sede da associação, na Praia de Intermares. Em 9 anos de trabalho, a associação devolveu ao mar 26 tartarugas, porém o número de animais mortos é bastante superior, somando 770 que apareceram morta no litoral paraibano, sendo mais de 100 este ano.

O futuro das tartarugas é incerto. Segundo Rita, num futuro não muito distante elas deixarão de existir por completo, prejudicando o ecossistema. “Não sabemos ao certo o papel da tartaruga marinha quando ela está no fundo, onde ela pode passar anos sem aparecer, mas sabemos que seu desaparecimento causará danos ao ecossistema”, afirmou. A maioria das tartarugas que aparecem doentes ou mortas nas praias são vítimas da ação do homem, tanto presas em redes de pesca ou por causa do lixo.

A história de Saci Pererê acabou tendo um final feliz. Apesar da falta de uma das patas que, segundo Rita, já estava totalmente cicatrizada, ela conseguiu se recuperar dos ferimentos e foi devolvida ao mar, após uma semana de tratamento. No momento, várias pessoas acompanharam o seu retorno e se emocionaram com a cena. “O Ibama indica que, quando a tartaruga é muito novinha, deve ser solta já dentro do mar para poupar a energia de passar pelas ondas”, explicou Rita. Saci é a segunda tartaruga devolvida ao mar este ano.

Já o caso de Stella não é tão animadora. A tartaruga apareceu em Intermares há 25 dias apresentando sinais de intoxicação por lixo e seu estado de saúde não se alterou desde então. “Ela não responde aos antibióticos, não está se alimentando bem e não defeca. Ela também é nova, tem em torno de 7 anos de idade, e tudo indica que ela comeu lixo. Desde o início do tratamento ela não teve nenhuma melhora, mas também nenhuma piora”, relatou Rita. Ela ainda completou dizendo que 90% dos casos de tartarugas doentes ou mortas que aparecem no litoral são causados pela ingestão de lixo.

CASC-PB/NOTICIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário