terça-feira

ONG: novo dia de violência na Síria tem mais de 50 mortos

Mais de 50 pessoas – 13 civis, 23 membros das forças de segurança e 15 desertores – morreram nesta quinta-feira na Síria, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Doze civis foram mortos na região de Homs, dos quais quatro no bairro Bayaba, segundo o OSDH, com sede em Londres.


Na região de Deraa (sul), um jovem de 15 anos morto por uma bala perdida em uma operação das forças de segurança, segundo a mesma fonte. Já na cidade de Hulé, 11 membros das forças do governo morreram em “violentos confrontos” com desertores, indicou o OSDH.

Durante as últimas semanas os enfrentamentos entre tropas regulares e desertores se intensificaram. Também no centro da Síria, próximo a Tadmur, sete pilotos militares morreram nesta quinta-feira em um ataque reivindicado pelo Exército Livre Sírio (ELS), uma milícia formada por desertores, contra o ônibus em que viajavam, informou um opositor em Homs.

Em um comunicado divulgado na internet, o ELS indica que uma de suas “brigadas efetuou um ataque contra um ônibus que transportava pilotos do Exército na estrada entre Palmyra e Homs, matando sete oficiais e o motorista”. O ELS aumentou os ataques nas últimas semanas contra o Exército sírio e as milícias do regime.
Cinco soldados também foram mortos em uma emboscada na província de Hama (centro). O OSDH informou sobre a morte de pelo menos 15 desertores em Rastana (centro). Desde que tiveram início as manifestações contra o regime do presidente Bashar al-Assad em meados de março, a repressão deixou mais de 3,5 mil mortos, segundo a ONU. As forças de segurança sírias efetuaram dezenas de milhares de detenções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário