segunda-feira

Investigação: IPC realiza perícia na casa de irmãs mortas


O Instituto de Polícia Científica de João Pessoa (IPC) enviou, no último sábado, uma equipe de peritos para realizar a perícia da casa onde moravam as irmãs Kauêne Geovânia da Silva, 2 anos, e Suzane da Silva, 1 ano, que morreram entre a noite de quinta-feira e a manhã de sexta-feira passadas, sob suspeita de envenenamento. A morte das crianças, cuja causa ainda está indefinida, permanece um mistério para a polícia. A inspeção na casa deve contribuir para elucidação.

Na rua onde mora a família das crianças, na comunidade Paratibe, no bairro Valentina Figueiredo, o clima é de comoção. “Todos os vizinhos estão abalados com a morte das crianças. Elas eram muito queridas pelas pessoas que moram aqui. Minha esposa adoeceu desde que soube o que aconteceu”, contou um dos moradores da rua, que preferiu não se identificar.

“A rua não é muito movimentada, mas, desde que as irmãs morreram, as pessoas mal saem de casa. Foi uma verdadeira tragédia o que aconteceu. Espero que o caso seja resolvido logo. Tenho dois filhos e nem posso imaginar a dor dos pais das meninas. Elas eram dois anjinhos”, completou o morador.

Na manhã da última quinta, Kauêne apresentou hemorragia e a mãe, Suziane Silva, a levou para o hospital do Valentina. A criança foi transferida para o Hospital de Trauma por causa da gravidade dos sintomas, mas morreu. Suzane apresentou sintomas semelhantes aos da irmã e foi levada ao Hospital Arlinda Marques, e depois foi transferida para o Hospital Amip, onde morreu. Por causa dos ferimentos, suspeitaram inicialmente de violência sexual cometida pelo pai, Kaio Silva, que ficou 16 horas preso.

CASC-PB/NOTICIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário