terça-feira

"Tem cidade que funcionários de prefeitura estão em delegacias como se fossem policiais", disse representante da PC.



O presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Paraíba, Antonio Erivaldo, pediu respeito ao poder executivo estadual durante entrevista à Rádio Paraíba, na manhã desta segunda-feira, 31. Ele falou sobre a greve iniciada na última sexta-feira e sobre as reivindicações da categoria.

Segundo Antonio Erivaldo, os agentes de investigação, os motoristas e os escrivães da Polícia Civil aderiram à greve e pedem melhores condições de trabalho, reajuste salarial e contratação dos concursados. O presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Paraíba denunciou que "tem cidades no interior do Estado que não há agentes, quem atende as pessoas que precisam dos serviços são funcionários de prefeitura e outros órgãos públicos que são emprestados às delegacias. Isso é um absurdo!".

Antonio Erivaldo disse ainda que há agentes que tem feito mais plantões que o normal de sua carga horária para ganhar um pouco mais no final do mês, "os plantões são 24 horas de trabalho por 72 de folga, tem agentes que estão fazendo 24 por 48 horas, e as vezes até trabalhando mais que isso", complementou o representante dos policiais.

Antonio Erivaldo disse que a vinda da Força Nacional para a Paraíba é uma forma do Governo Estadual impor sua vontade às pessoas. "Esse Governo trouxe a Força Nacional para cá, a nossa Polícia tem se destacado pela disciplina ordem e trabalho se comparada à Polícia de outros estados, só não reconhece quem não quer enxergar a qualidade de nossos policiais. A interferência causa insatisfação à categoria.", complementou o presidente do Sindicato da Polícia Civil.

CASC-PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário