sexta-feira

Atividades nos centros sociais urbanos serão reformuladas.

O governo estadual vai reformular os serviços e estabelecer um novo modelo para os 31 Centros Sociais Urbanos da Bahia (CSU), da capital e interior, e para o Centro Integrado de Apoio à Criança e ao Adolescente (CIAC). As ações sociais serão ampliadas nas unidades, com a inclusão de atividades referentes a programas como o Brasil sem Miséria, Pacto pela Vida, Bolsa Família, entre outros.
Os centros também reforçarão os projetos nas áreas de esporte, atenção ao idoso e qualificação profissional, além de oferecer turmas do programa Todos pela Alfabetização (Topa). O objetivo é criar uma identidade única para os equipamentos.
Os coordenadores estiveram reunidos, no CSU de Narandiba, em Salvador, para discutir, junto com gestores da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), o novo modelo a ser implantado, incluindo as diretrizes de trabalho que devem ser adotadas pelos centros. O encontro contou com a presença do secretário Carlos Brasileiro. “Essa reunião foi um momento de diálogo. É nesta oportunidade, e em muitas outras que virão, que nós ouvimos as demandas de quem está na ponta, para que possamos chegar próximo de uma gestão com criatividade e sem qualquer engessamento”, afirmou Brasileiro.
A meta é reordenar e qualificar os serviços oferecidos por esses equipamentos, inclusive com a participação da outras secretariais estaduais, como Educação (SEC) e Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti). “Quem ganha com essa requalificação dos Centros Sociais Urbanos é a sociedade, que terá maior acesso aos programas e mais qualidade no serviço. Serviço este que promove a integração social, a inclusão produtiva e a elevação da escolaridade”, destacou a superintendente de Assistência Social da Sedes, Angela Gonçalves.


POSTADO POR GENILDO ALVES/CASC-PB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário